O uso de computadores ganhou ascensão em meados da década de 80 e 90, a partir daí, exponencialmente, seu uso começou a ser massivo. Há 25 anos atrás existiam apenas cerca de 51 mil computadores, hoje esse número ultrapassa a marca de 140 milhões. Portanto, é evidente que o uso de computadores domésticos é uma realidade para muitas pessoas ao redor do globo. 

A internet encurtou distâncias, promoveu inúmeros avanços e continua impulsionando diversos setores da economia. Por isso, o uso das tecnologias é uma constante na vida de inúmeros usuários. O aplicativo de compartilhamento de fotos e vídeos, Instagram, por exemplo, possui cerca de mais de 1 bilhão de usuários.

Nesse sentido, pensando no alto número de pessoas que utilizam a internet e consequentemente, o computador, é preciso que se mantenha uma alta taxa de segurança em seus dispositivos, pois, ao passo que as tecnologias avançaram e novas foram implementadas, a prática criminosa também aumentos, mas, nesse caso, migrou para o meio digital.

O meio digital tornou-se um canal para que cibercriminosos aplicassem inúmeros tipos de fraudes, desde clonagem de cartão, roubo de contas e identidade, transações financeiras, compra e venda de itens, tudo isso em nome da vítima.

 Estudos apontam que a pandemia e os crimes possuem relação direta, pois, uma vez que as pessoas começaram a realizar suas atividades de forma remota, os criminosos enxergaram uma oportunidade de aplicar golpes na internet. 

Dessa maneira, fica evidente a necessidade de adotar medidas que visam proteger seus dados, bem como ter conhecimento acerca de possíveis golpes na rede. Para serviços relacionados a crimes que envolvam a junção de tecnologia e jurisprudência, visite o site: www.drjonatas.com.br e entre em contato pelo telefone: (11) 2365-9212. Fale com quem realmente sabe do assunto e fique tranquilo. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui